Rate this post

Brasileiros no Japão

De acordo com o Ministério do Trabalho do Japão, há mais de cem mil brasileiros trabalhando no arquipélago. Como mostra a figura abaixo em tom rosa ブラジル 106.597, ocupando a 4a. posição, atrás de Chineses, Vietnamitas e Filipinos. Em torno de 10% do total de estrangeiros que trabalham na terra do sol nascente.

Trabalhadores estrangeiros no Japão
fonte: Ministério do Trabalho do Japão

De acordo com o Itamaraty, há 1.500 empreendedores brasileiros no Japão, ou seja, cerca de 1.5% dos trabalhadores brasileiros no arquipélago nipônico. Um número pequeno, porém expressivo, pois os empregos terceirizados de mão de obra desqualificada, pagam, em média, R$ 5 mil (cinco mil reais) por mês nas fábricas de auto peças e eletrônicos.

Dentre os empreendedores brasileiros no Japão, poucos se aventuram na área de tecnologia, como mostrado no post “10 empreendedores web no Japão“. Talvez pela falta de referências no setor. Porém, a cada dia, fica mais fácil para o brasileiro empreender no Japão.

Dicas para empreender no Japão

  • Abrir empresa no Japão – Fundado pelo empreendedor serial Yuji Une, ele presta total assessoria aos brasileiros para abrir ou regularizar empresas no Japão.
  • MVP POC – Pensou em algum produto ou serviço para vender aos brasileiros no Japão? Faça um MVP (Produto Viável Mínimo) para testar a aceitação dos clientes. Com este MVP, teste o POC (Prova de conceito) se o produto/serviço será aceito no mercado. E o melhor, de forma grátis no SITE DOS EMPREENDEDORES do Japão.
  • Anuncie – Com o produto/serviço pronto, o próximo passo é divulgá-lo. Há vários canais dedicados aos brasileiros no Japão, PublicidadeJPAlternativa, Portalmie, GuiaJP e outros.
  • Eventos – Nos meses de maio a setembro, há diversos eventos dedicados a comunidade brasileira no Japão, festivais e festas católicas atraem mais de 1.000 (mil) pessoas por evento. São ótimos locais para conhecer os clientes e parceiros de negócio no arquipélago.
  • Japoneses – O Studio Lizarb comandado por brasileiros, é especialista em e-commerce multilíngue, desde a criação do produto, passando pelo fullfilment, webdesign, sistemas, até o pós-venda aos japoneses.

Startups brasileiras no Japão

O conceito de startup, ou, empresas nascentes que procuram um modelo de negócio repetitivo e escalável, ainda não é adotado pelos empreendedores brasileiros no Japão. Talvez porque no ecossistema daqui, faltem algumas peças importantes para iniciar um movimento maior e mais globalizado.

  • Empreendedores globais – Há poucos empreendedores brasileiros com idéias globais ou regionais (Japão/Asia). O foco da maioria é apenas o mercado brasileiro, que compreende 180 mil pessoas. Para uma startup ser valorizada, ela deve chegar a mercados maiores, ou seja, 127 milhões de japoneses ou 4 bilhões de asiáticos.
  • Investidores – Os investidores anjo, ou os Angel Investors, são aqueles que na maioria dos casos, construíram suas startups e depois de vendê-las (exit), começaram a retribuir ao ecossistema em forma de investimento nos empreendedores. Felizmente temos vários empreendedores de sucesso na comunidade brasileira que podem se tornar anjos.
  • Escolas de tecnologia – No mundo da tecnologia da informação, os profissionais mais requisitados são programadores ou engenheiros de programação. Com a digitalização das empresas, a demanda por programadores brasileiros deve aumentar, e em consequência, escolas de programação devem ganhar espaço na comunidade.
  • Empresas compradoras – M&A é um caminho natural em mercados saturados, dentro da comunidade brasileira do Japão houve poucos negócios entre empresas. Apenas 3 no setor de educação e algumas outras no setor alimentício. Em números, há informações de um negócio na casa dos ¥100 milhões ou $1 milhão na época.
  • IPO – No Japão, as startups já nascem com planos de venda, em especial, oferta pública de ações, ou IPO. Quando a primeira STARTUP brasileira ou primeiro brasileiro fizer IPO na TSE, o ecossistema estará completo.

Startup Visa

Há rumores de abertura dos vistos para os yonseis, descendentes da quarta geração dos imigrantes japoneses no Brasil. Em 2018 completa-se 110 anos desde a ida do Kasato Maru ao Brasil. Porém, o governo japonês lançará um novo tipo de visto, o chamado Startup Visa, para quem investir ¥5M ou R$170K.

Entre em contato para saber mais sobre o ecossistema de startups japonesas e suas oportunidades.

Deixe uma resposta