Rate this post

Análises sobre os aportes e deals no Japão

Este é o terceiro post da série de artigos sobre os negócios no ecossistema japonês de startups. Veja os destaques entre as startups no Japão, o comparativo com 2017 e as curiosidades do mercado. Temos outros dois materiais sobre o Primeiro trimestre de 2018. E o Segundo trimestre de 2018.

Destaques do 3Q 2018 no Japão

  • Total de deals 259.
  • ¥112.65B em 168 negócios com valores divulgados, cerca de ¥670M ou $5.9M de média por Startup
  • Maior deal ¥10.4B ou $91.9M de Goldman Sachs, Japan Post Investment, NTT Docomo Ventures, DG Incubation, WM Partners, Digital Alpha, WS Investments, INCJ e Eight Road Ventures na startup Cloudian.
  • Maior deal Fintech na startup Origami, ¥6.66B ou $58.8M de um grupo formado por SBI Investment, Toyota Finance, Union Pay, Credisaison, Nihon Unysis, JCB, Ogaki Kyoritsu Bank, Mitsui Sumitomo Card, DG Daiwa Vntures, Shinkin Chuo Bank.
  • Maior deal SaaS na startup Freee, ¥6.5B ou $57.4M feitos pelo grupo LINE, Mitsubishi UFJ Bank, Life Card e 6 outros fundos.
  • Maior deal AI na startup Finc, ¥5.5B ou $48.5M feito pelo grupo Rotto Medical, Nihon Electric, Dai Ichi Life, Shiseido, Chubu Electric Power, Teijin Frontier, SBI Investment, Atla, Ezaki Glico, Sompo HD, Kodansha, J-Wave, Takenaka Komuten, Mizuho Securities, Hiroshima VC e Yokohama Capital.
  • Setores com maior número de deals: AI com 23 e SaaS com 12.
  • VC com maior número de deals, SMBC VC com 10.

Comparativo 3Q 2017

  • Total de deals 119.
  • Em relação aos deals com valores divulgados, crescimento, de ¥63.6B ou $562.1M, para ¥112.65B ou $995.6M.
  • O maior deal do terceiro trimestre de 2017 foi ¥10.5B ou $92.7M
  • Setor com maior número de deals: IoT com 11.
  • VC com maior número de deals: SMBC Venture Capital com 6.

Curiosidades

  • A plataforma de Crowdequity Fundinno aumentou sua relevância nesse trimestre, com 5 captações na média de ¥40M ($350M), destaque para a startup TaaS que captou ¥82M ($726M).
  • Dentre as startups com fit para o Brasil, a Lang-8 fechou uma rodada de ¥650M ($5.7M).
  • A startup Paidy recebeu um aporte da Visa, sem divulgação de valores. É uma fintech para ficar de olho nos próximos meses, uma das poucas startups geridas por estrangeiros no Japão.
  • Uma startup que vi o primeiro pitch em 2016 e está aumentando sua relevância é a Umitron (fishtech), recebeu ¥300M ($2.6M) de um fundo da Toyota, e também tem fit para o mercado brasileiro.

Oportunidades

Pelo terceiro trimestre consecutivo, analisamos o aumento nos investimentos em startups no Japão. O fato mais relevante foi a tendência de VC’s saírem de Corporate Ventures e abrirem seus próprios fundos, aumentando assim a gama de oportunidades para as startups.

Será que a startup Paidy se tornará o primeiro unicórnio japonês gerido por um estrangeiro no Japão?

*Disclosure: este blog não recomenda nenhum investimento aos seus leitores. O mercado é arriscado e a decisão é de cada pessoa ou instituição. Estamos construindo um banco de dados em português sobre o ecossistema japonês, listamos informações de 2K deals e 500+ investidores de Venture Capital no Japão.

Deixe uma resposta