3 baladas para você conhecer no Japão

Padrão

womb tokyo

O Japão é famoso pela tecnologia, animes, culinária e cultura milenar. Também é conhecido por ser terra da Technics e Pionner, duas empresas que revolucionaram o mercado dos Djs. A primeira, por inventar o “DD Turntable“, a segunda, por investir e mudar o padrão dos Mixers e CDJ’s.

O arquipélago tem leis rígidas em relação a danceterias e o povo japonês não é tão festivo quanto o brasileiro, por isso poucas cidades tem “baladas” com capacidade acima de 1.000 pessoas.

Veja 3 que merecem uma visita:

  • Womb – Localizado em Shibuya, bairro jovem de Tokyo onde está também o cruzamento mais movimentado do mundo. Sistema de som com altíssima qualidade, laser colorido e os melhores Djs do mundo. Local onde o Dj Marky se apresenta quando vai para Tokyo.
  • ageHa – Localizado em ShinKiba, porto logístico na baía de Tokyo. Recebe os melhores Djs do mundo em festas que passam das 4.000 pessoas nas suas 4 pistas. Destaque para a pista principal, com sistema de iluminação fantástico e som impecável.
  • iDBar – Localizado em Sakae, centro comercial e de entretenimento de Nagoya. Tem 5 andares, cada um com pista e bares separados mas interligados por escadas duplas, os melhores Djs de Black/Dance Music da região. Realiza festas periódicas para brasileiros e mesmo nos sábados normais atrai muitos compatriotas das regiões vizinhas a Nagoya. O Halloween já se tornou tradicional e atrai mais de 2.500 pessoas. O horário dessa casa noturna é das 19:00 até 1 da manhã.

O iDBar é uma balada “POP” com Dj’s tocando top 40 das rádios. Já a Womb é mais House, Techno e Drum n’Bass. No ageHa o House é predominante, mas tem também Trance, Psy, Techno e Black.

Foto: Wikipedia.Org

O que é Nagoya?

Padrão

No Brasil, quando se comenta algo sobre o Japão, o local que representa o país do sol nascente é Tokyo. Porém, Nagoya vem sendo bastante divulgada na mídia brasileira devido ao grande número de patrícios que vivem na região central do arquipélago. É também, sede de uma das maiores marcas de luxo do mundo, a Lexus.

Em português, a grafia correta é Nagoia, mas já acostumei a escrever com “Y”. E quando buscamos algo sobre a cidade, encontramos mais resultados na língua inglesa, Nagoya. Com população próxima de 2,27 milhões, é a terceira maior economia do país e capital da província de Aichi, onde vivem cerca de 55.310 brasileiros.

A cidade tem uma rica história arquitetônica que contrasta com as recentes edificações e investimentos públicos e privados. Considero uma capital do interior que se desenvolveu e ainda mantém alguns traços de expressão provinciana. Para aproveitar mais a cidade, vale a pena visitar:

1. JR Central Towers – O primeiro cartão de visitas da cidade, com dois prédios de 50 e 59 andares cada, abriga a empresa de trens JR Central, estação de trens e shinkansen, além de lojas, restaurantes, bares e diversos outros locais para “gastar”.

JR Central Towers Nagoya

JR Central Towers Nagoya

2. Midland Square – Um dos prédios mais altos do Japão, pertence ao grupo Toyota e Mainichi Newspaper. Tem o mais alto deck aberto para visualização no Japão, Sky restaurants, showroom de carros e lojas de marcas famosas.

Midland Square Toyota Mainichi Building

Midland Square Toyota Mainichi Building

3. Nagoya Castle – Castelo de Nagoya, um dos mais importantes castelos do período EDO (1603-1868), dominado pelo Shogunato Tokugawa. Época em que o Japão manteve seus portos fechados à outros países. Parcialmente destruído na II Grande Guerra Mundial, foi restaurado em 1959 e está em reformas com previsão de termino em 2017.

Castelo de Nagoia

Castelo de Nagoia

4. Tokugawa Art Museum – Museu privado, com mais de 12 mil obras, incluindo peças do Tesouro Nacional do Japão, como The Tale of Genji de Murasaki Shishibu.

Museu Tokugawa

Museu Tokugawa

5. Templo Atsuta – Um dos mais visitados do arquipélago. Com 20 hectares de área, e uma histórica coleção de 4.000 obras. Estima-se que foi fundado há quase 2 mil anos atrás.

Templo Atsuta

Templo Atsuta

6. Nagoya City Science Museum – Reinaugurado em 2011, agora com o maior planetário do mundo, fica localizado numa das regiões mais movimentadas da cidade, o bairro Sakae. É preciso fazer reserva antecipada para poder ver o planetário.

Museu de Ciencias da Cidade de Nagoya

Museu de Ciencias da Cidade de Nagoya

7. Nagoya Dome – Estádio de baseball do time Chunichi Dragons. Inaugurado em 1997, serve também como local de shows e eventos variados, é coberto e cabe 40.500 pessoas. Nos dias de jogos, se possível, escolha o trem/metrô para chegar até lá. Assim, conhecerá as placas em português no transporte público japonês.

Nagoya Dome

Nagoya Dome

8. Nagoya Boston Museum Of Fine Arts – Localizado em Kanayama, uma estação de metrô próxima da Central Nagoya, dentro do Kanayama South Building, é um dos maiores e de maior qualidade de obras de vários períodos.

Kanayama South Building - Nagoya Boston Museum of Fine Arts

Kanayama South Building - Nagoya Boston Museum of Fine Arts

9. Sekai no Yama-Chan – Restaurante típico de Nagoya, tem um prato chamado Tebasaki, que é uma asa de frango temperada e frita. O sabor e a forma de apreciar são únicos.

Tebasaki do Sekai no Yama-chan

Tebasaki do Sekai no Yama-chan

10. Osu Kannon – Localizado próximo a região de Sakae, além de possuir inúmeras obras históricas, tem ao seu redor um enorme centro comercial com lojas e restaurantes.

Osu Kannon

Osu Kannon

Fontes e fotos: Wikipedia.Org

O poder dos companheiros digitais

Padrão
Marketing Digital - Martha Gabriel

Marketing Digital - Martha Gabriel

Por favor, leia todo o texto para entender o motivo do título…

Dia 31 de outubro vai ser um marco para o futuro da comunicação na comunidade brasileira do Japão. Escrevo estas primeiras linhas, com a convicção da capacidade de uma pessoa fazer “ESTRAGOS” ou melhorar o nível dos que estão ao seu redor, e, com a revolução digital, atingir o outro lado do mundo. Aliás, na “ERA DIGITAL”, podemos encurtar distâncias, diminuir prazos e levar experiências a lugares inimagináveis. Para entender melhor, precisamos dos melhores professores, Martha Gabriel é considerada uma das mais inovadoras no assunto!

Vou comentar alguns fatos ocorridos dentro da comunidade brasileira que vive no Japão, para exemplificar o poder do “DIGITAL”. Começando por uma área que está em alta e muitos devem ter notado. Os cursos de fotografia. Nunca antes na história (parafraseando um ex-presidente) tivemos acesso a equipamentos tão precisos e rápidos, para obtenção de imagens e claro, sua divulgação. Quando nos anos 90, os jornalistas começaram a divulgar no Brasil o movimento “dekassegui”, não tínhamos toda essa tecnologia digital. Para compartilhar fotos com os amigos, precisávamos esperar no mínimo, 24 horas para revelar o filme, alguns minutos para “ESCANEAR” e outros tantos para enviar via ICQ (comunicador instantâneo famoso nos anos 90) pois a conexão naquela época, ainda era discada (com aquele som inesquecível).

Com a digitalização das câmeras fotográficas, e, nos últimos anos, a “NANONIZAÇÃO” dos componentes eletrônicos, hoje chegamos ao ponto de compartilhar fotos em HD, em alguns segundos, utilizando o sistema 3G no Japão. Toda essa tecnologia, pode ser usada por qualquer pessoa que vive no arquipélago, e o melhor, por um custo acessível. Os empresários, empreendedores, donos de sites, precisam aprender a utilizar toda essa tecnologia a seu favor.

Não basta abrir uma conta no Twitter, Facebook e Orkut. É preciso potencializar a sua utilização. É preciso pensar nos profissionais que estão se formando a nossa volta, como os “Fotógrafos Digitais”. Nas visitas que faço, ouço muita reclamação sobre usuários de redes sociais estarem vendendo produtos online e atrapalharem o faturamento de sua empresa. Chegou a hora de repensar seu negócio. Quebrar paradigmas. Ao invés de reclamar do que outros estão “FAZENDO”, por que não se aliar a essas pessoas que acharam um novo meio de se comunicar com o público?

Acredito que a venda de serviços ou produtos, nada mais é que a comunicação de duas partes, através de um canal, seja ele “Offline” ou “Online”. Divido dessas duas formas pois considero o comércio eletrônico, um marco nas relações entre as pessoas no mundo. E este comércio, depende muito da imagem que você deseja vender. Por isso, relatei acima, a transformação na forma com que compartilhávamos a fotografia.

Vamos exemplificar um modelo de negócios afetado pela “ERA DIGITAL”. A quase totalidade das brasileiras no Japão conhecem o catálogo de compras “NISSEN”, muito utilizado para decorar o apto, desde o começo dos anos 90. Naquela época, as fotos ainda precisavam ser reveladas para fazer a composição do catálogo. Imaginem o trabalho, a quantidade de pessoas no processo e o tempo que demorava!

Hoje, com as tecnologias digitais, eles tem no site, além do tradicional catálogo, agora digitalizado, inúmeras outras opções de escolha, com muito mais rapidez no lançamento de produtos. Só falta eles utilizarem o HTML5 para disponibilizar o catálogo para pessoas que utilizam produtos Apple, mas isto é um caso a parte. Essa nova tecnologia vai se tornar comum na próxima década.

Já temos muitos empresários e empreendedores com essa visão, que compraram os convites para estar em Nagoya no dia 31. Alguns já participaram da palestra que fiz no ano passado, outros estão vindo de Kanagawa, Saitama, Tochigue, Mie, Gifu e Shizuoka. Espero a presença maior dos moradores de Aichi, pois é o local onde se concentra a maior comunidade brasileira no Japão.

Aproveite esta oportunidade única de ver e ouvir de perto a palestra que ampliará sua visão sobre a “ERA DIGITAL”. A luz para os seus negócios pode vir de uma tela de computador, celular ou tablet! Pois estes aparelhos já ocupam a maior parte do tempo nas nossas vidas, seja no trabalho, nas ruas ou dentro de casa! São os seus companheiros digitais!

Workshop – Marketing e vendas na ATEC/Nagoya

Padrão

Dia 16 de agosto a partir das 15:00h será realizado o Workshop – Marketing e vendas destinado as pessoas que desejam aprender sobre o mercado, para quem está inciando negócios na internet e também para melhorar seus conhecimentos com Dino Slender – Profissional de vendas especialista em gerenciamento de contas empresariais e marketing pessoal.

As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas diretamente na ATEC em Nagoya – ao lado do consulado.

Telefones: 052-219-5870, 050-6860-3180, 090-6083-4967(Softbank)

Os tópicos (sujeitos a alteração) serão:

Tema Marketing:

-Marketing pessoal, o que é isso?

-Como visualizar melhor o mercado

-Quem são meus concorrentes?

-Sucesso – uma questão de visão (Com a tecnica desenvolvida para para ampliar a visão e enxergar as oportunidades ao nosso redor, ideal para ultrapassar momentos como esse que estamos passando)

Vendas

-As vendas pela Internet

-Ciclo das vendas

-Relacionamento com o cliente

Será um Workshop de 3:00h, interativo, com projeção de slides, exercícios práticos e certificado da ATEC.
BlogBlogs.Com.Br