Softbank – A líder entre os brasileiros no Japão

Padrão

Li a matéria do EXAME e não concordo com tudo que foi escrito, aliás traduzido da REUTERS.

Image.

Muitos brasileiros que vivem fora do Japão devem estar surpresos com a recente notícia de compra da Sprint, feita pela japonesa Softbank.

Porém, para os que estão no Japão e vivem a mais de 10 anos na ilha, é um fato normal de uma empresa que abriu as portas para o atendimento aos estrangeiros e facilitou o acesso a comunicação móvel.

Alguns fatos que fazem da Softbank a mais utilizada pelos brasileiros no Japão:

– Baixou os preços das mensalidades dos celulares

– Introduziu o iPhone no mercado japonês.

– Facilitou a aquisição dos aparelhos através de empresas que atendem na língua portuguesa.

– Contratou funcionários para atendimento em português nos seus Call Centers.

– Lançou aparelhos com menu em caracteres romanos.

Sou cliente Softbank e posso afirmar que a empresa conseguiu me conquistar por oferecer o iPhone e pelo White Plan (Plano de ligações por ¥ 980/mês ou $ 12). O atendimento em português é apenas um detalhe.

Antes da Softbank, usei a Vodafone e também a J-Phone. Já fui cliente da IDO (atual AU) e também da Docomo.

Não confiei em duas ações da Softbank nesses 6 anos depois de comprarem a Vodafone Japan. A primeira, utilizar o logotipo e a marca deles ao invés do vermelho da operadora européia. Achei que não iria dar certo por não representar um nome ligado a telefonia, mas em pouco tempo já estava com aquele “símbolo de igual =” em cinza na minha cabeça. A segunda foi a introdução do iPhone num mercado dominado por excelentes aparelhos com tecnologias avançadíssimas em telas menores e mais leves, estava acostumado a navegar nos sites mobile. Mas o iPhone conquistou os japoneses logo na segunda geração 3GS, pela facilidade de uso, tanto por jovens quanto por idosos e ainda a possibilidade de navegação nos sites e acesso a emails.

A KDDI AU descobriu isso um pouco tarde, e só começou a vender os aparelhos a partir do 4S. A NTT Docomo, talvez só perceba o atraso no 5S.

O mesmo acontece na oferta de serviços para os estrangeiros no Japão. Enquanto a Softbank abre as portas para parcerias e atrai mais consumidores, a KDDI AU e NTT Docomo fazem pouco para nos ter como clientes. Não há interesse em aprender como lidar com estrangeiros, uma oportunidade única dentro do seu próprio país. Algo que Carlos Slim consegue fazer muito bem nos EUA.

A NTT Docomo e KDDI AU são respectivamente primeira e segunda em número de assinantes de celulares no Japão. Porém, nos últimos 6 anos, desde que comprou a Vodafone Japan a Softbank conseguiu aumentar em 15 milhões sua base (dobrou), enquanto que as líderes conseguiram apenas 8 milhões cada.

Masayoshi Son, CEO da Softbank tem o objetivo de ser número 1 em telefonia móvel no Japão. Ele já tem o site número 1, Yahoo Japan. Acredito que nos EUA ele pode fazer o mesmo. Utilizar a estrutura da Sprint para oferecer conteúdo móvel aos americanos e com esse aprendizado, trazer mais novidades para o mercado japonês.

Fonte: Wikipedia.Org

Case – Yahoo Japan, o maior portal do Japão

Padrão
Fukuoka Yahoo! Japan Dome

Fukuoka Yahoo! Japan Dome

Yahoo! Japan – O maior portal do Japão! (um dos poucos países que o Google não está em primeiro lugar no ranking de acessos) De acordo com o Alexa e AdPlanner do Google.

Yahoo Japan Corporation, foi fundado em 31 de janeiro de 1996, iniciou suas operações em 4 de novembro de 1997. Seu presidente, Inoue Massahiro, formou-se na Universidade de Ciências de Tokyo, passou pela empresa Sord Corporation e entrou no Instituto de Pesquisas Softbank em 1987. Se tornou funcionário da Softbank Corp. em 1992, e chegou a presidência da Yahoo! Japan em 1996 e também um dos diretores da Softbank em 2001.

No balanço do ano fiscal de 2010/2011, Inoue foi o diretor que ganhou o maior salário do grupo, superando até mesmo a quantia ganha pelo Presidente Masayoshi Son. O valor foi de ¥ 158 milhões, ou R$ 3.7 milhões. Sendo ¥ 84 milhões (R$ 2 milhões) apenas em bônus.

A companhia está listada na Tokyo Stock Exchange desde 2003 e na Osaka Securities Exchage desde 2007, o número de funcionários era de 3.835  em setembro de 2011.

HISTORIA:

Desde 1996, Yahoo! Japan é o líder dos portais no arquipélago nipônico. Iniciou suas atividades como buscador de informações, na mesma linha do Yahoo! EUA, mas em idioma japonês.

Já em 1997, ganhou prêmio de excelência em produtos e serviços, oferecido pela empresa Nikkei Industrial Daily, um dos jornais mais respeitados do setor de negócios no Japão.

Em 1998, lançou os serviços personalizados de usuário (MyYahoo), mensagens de comunidades e rede social de jogos.

A partir de 1999, entrou em operação, o serviço que o diferenciou da sua parceira americana, o Yahoo Auction, antes mesmo do eBay chegar ao Japão. Iniciou também o Yahoo Shopping, que hoje compete com a Rakuten. Antes dos serviços de comércio eletrônico, lançou o cartão de crédito em conjunto com a empresa Sumitomo Mitsui Card Credit Company.

No ano 2000, entrou no mercado móvel, com site para o sistema i-Mode da operadora japonesa Docomo, ano em que atingiu a incrível marca de 100 milhões de pageviews diários. Nesse mesmo ano, lançou o sistema de publicidade focada em interesse do público, onde os anunciantes podiam escolher a idade, gênero, ocupação e interesses. Nesse ano concluiu também a fusão com a Geocities Japan, Broadcast.com Japan e P.I.M. Inc.,. E ainda iniciou a venda de pacotes turísticos junto com a empresa JTB uma das maiores operadoras do Japão. Finalizou o ano oferecendo o serviço Escrow para o Yahoo! Auctions.

2001 foi o ano em que dobrou o número de pageviews diários para 200 milhões e iniciou a oferta de serviços de banda larga Yahoo BB. A partir deste ano, vários outros serviços foram lançados, uma série de fusões e aquisições foram feitas em ritmo acelerado. Em 2004 o site ultrapassou a marca de 1 bilhão de pageviews diários.

Já em 2005, investiu no time de baseball de propriedade da Softbank, adquirindo o naming rights do estádio em Fukuoka. Alterado para Fukuoka Yahoo! Japan Dome, é a casa do time profissional de baseball Fukuoka Softbank Hawks, que foi campeão da Japan Series em 2011 (ganhou do time que sou torcedor, o Chunichi Dragons).

Em 2006 a Softbank comprou as operações da Vodafone Japan por US$ 15 bi, fato relevante para a entrada no mercado móvel, lançando neste mesmo ano o portal Yahoo! Keitai (celulares). Desde então, a empresa foca em serviços de CGM (conteúdo gerado pelo consumidor), principalmente na área móvel. Fato recente nesta área foi a parceria feita com a empresa DeNa, para oferecer aos usuários, a plataforma de games Mobage, a maior rede social mobile do Japão.

Em 12 anos, o número de racks de servidores, ultrapassou os 2.000 (dois mil) e a tendência é dobrar a cada 3 anos. Até 2011, a empresa oferecia 140 tipos de serviços e a cada dia aumentava mais sua participação em outros países da Ásia, como por exemplo o Yahoo! Chinamall em parceria com o grupo Alibaba. E tem mais, eles já entraram no ramo de vídeo, em uma parceria com o Ooyala, já que o Youtube é muito acessado no Japão.

COMPETIDORES:

  • eBay – Iniciou suas operações no Japão em 2000, mas não conseguiu sobreviver a concorrência do Yahoo! Auctions (que já estava no mercado um ano antes). Em 2001, informou que venderia sua operação no arquipélago, fato que não se concretizou e culminou com o fechamento da empresa em fevereiro de 2002, relocando todos os seus clientes para a operação americana. Acabou por cortar todos os 17 funcionários. Em 2007 voltou ao Japão, porém, desta vez, em forma de parceria com o próprio Yahoo! Japan. No Brasil, o eBay também não atua com operações próprias.
  • Google – Um dos poucos países onde o gigante das buscas não conseguiu chegar ao primeiro lugar nos acessos. Também seguiu o exemplo do gigante dos leilões e formou parceria com o Yahoo! Japan em 2010 para oferecer seu sistema de buscas ao portal. Mas o Yahoo! Japan ainda oferece seu próprio sistema de publicidade Interest Match.
  • Rakuten – O competidor mais forte no Japão. Conseguiu superar o Yahoo! Japan Shopping, com seu marketplace Rakuten Shijo e hoje tem inúmeros serviços competindo com os demais sites do Yahoo! Japan. Está focado na expansão global e faz parte das 10 maiores empresas de internet no mundo. Em 2011, comprou 75% da Ikeda, uma das mais antigas empresas de comércio eletrônico do Brasil.
  • Livedoor – 8o. maior portal do Japão, estava crescendo de maneira vertiginosa logo após entrar na Bolsa de Tokyo Mother’s no ano 2000. Em 2005, o já falido banco Lehman Brothers, emprestou US$ 800 milhões na forma de investimento Death Spiral para a Livedoor. Mas a empresa e seu presidente se envolveram em um escândalo financeiro no ano 2006. Acabou sendo delistada da bolsa, perdeu assim a força para competir com Yahoo! Japan. Mas, em 2010, a NHN, que opera o maior portal da Coréia do Sul, o Naver, comprou a Livedoor e pode aumentar sua participação no Japão.
  • Ameba – O maior portal de blogs. Operado pela CyberAgent, a rede Ameba, integra blogs e games, com inúmeros artistas utilizando sua plataforma para relatar seu dia-a-dia e se comunicar com seus fãs. Recentemente, iniciou sua expansão nas redes sociais de forma global, com lançamentos em inglês.

DIFERENCIAIS:

Enquanto o seu parceiro Yahoo! EUA não encontrou o foco até o ano passado e quase foi vendido para a Microsoft. O Yahoo! Japan é focado e tem uma boa administração. Isso deve-se em grande parte a visão de Masayoshi Son, o sócio majoritário da empresa.

Este descendente de sul-coreanos, naturalizado japonês, mudou o cenário das comunicações no Japão, primeiro na internet com o Yahoo! Japan, depois derrubou os preços da banda larga, com o Yahoo BB (Broadband), baixou os preços dos serviços celulares, quando comprou a Vodafone Japan (que estava no prejuízo) e transformou em Softbank Mobile. E ainda, conseguiu introduzir o iPhone para os japoneses, que estavam acostumados com aparelhos multifuncionais, que continham sistema de pagamento e serviços de internet embutidos já a algum tempo.

Hoje é fácil analisar a história da empresa e ver seus resultados. Porém, foi preciso muita coragem para competir com Google, eBay e mais, NTT Communications, que além de ser a mais antiga empresa de comunicações do Japão, é controlada pelo governo japonês.

Referências

http://www.wikipedia.com

http://www.yahoo.co.jp

http://www.cisco.com

Must read:

http://greglane.posterous.com/why-is-yahoo-still-top-in-japan

Ranking dos aparelhos mobile – Analytics Leilao.jp

Padrão

Os 22 aparelhos móveis mais usados para acessar o site Leilao.jp no final de 2011.
Uma base para entender quais “gadgets” os brasileiros no Japão estão utilizando no momento.

O iPhone tem um domínio grande em relação aos outros, pois a Softbank, foi a primeira operadora a investir nos smartphones. Com uma estratégia agressiva, oferecendo ligações a preços baratos no início das suas operações, logo após adquirir a carteira de clientes da Vodafone Japan em 2006, por US$ 15 bilhões.
Esta aquisição, permitiu a Softbank, criar sua base para expandir o acesso a internet móvel, que já era um foco da companhia, quando lançou a banda larga Yahoo BB em 2001. Entre 2008 e 2011 a Softbank teve exclusividade nas vendas do aparelho da Apple.
Porém, em 2011, a Au ou “Eiyu”, braço móbile da KDDI (parte do conglomerado Toyota), ganhou a concessão para vender o iPhone 4S, dividindo o mercado desse tão cobiçado “gadget”.

No Japão, a grande maioria sabe que a conexão da Au é melhor que da Softbank. E, no caso dos japoneses, eles preferem a DoCoMo, por ser da NTT, a mais antiga empresa de telefonia do Japão. Mas que tem preços superiores a Au e Softbank.

Na lista dos aparelhos usados pelos brasileiros, podemos notar uma grande variedade de aparelhos da Au e Docomo, e poucos modelos de aparelhos da Softbank. Portanto, cabe ao pessoal de marketing, pensar nesses consumidores, na hora de planejar suas estratégias.

Vale a pena observar também, os tablets, iPad e Galaxy Tab, que podem ser melhor explorados pelo tamanho da tela e facilidade de uso. Basta olhar na coluna “Pages” e notar que o número de páginas vistas nos tablets, são maiores que a média geral. 19,56 e 22,72 contra 14,60 de média.
Mais um ponto a destacar em prol do iPad, o número de novas visitas, 11,22% o dobro da média, 5,32%.

Apesar de não ter números claros, dentre os desconhecidos, é possível que haja tablets genéricos, provenientes da china, com sistema android, sendo utilizados para acessar o Leilao.jp, pois há inúmeras empresas brasileiras fabricando e revendendo esses modelos no mercado.

Esse é apenas o Top 22, na lista completa, há mais de 100 modelos sendo usados. Em vários países.

O Cara!

Padrão

Assumiu um risco enorme arriscando mais de US$ 20 bi, comprando a Vodafone Japan, empresa que estava tendo prejuízos ano a ano. Transformou a empresa, competindo com a NTT, a maior empresa de telecomunicações do Japão. Se tornou o homem mais rico do Japão. O cara que tem planos para os próximos 100 anos da sua empresa. Estou falando de Masayoshi Son – CEO da SOFTBANK.

Aqui o vídeo da sua apresentação em 2007 (em inglês).

Aqui o vídeo de sua apresentação em 2011 (em inglês).