Sentimentos que vendem

Padrão
Sentimento

Sentimento

 

A história dos brasileiros no Japão começa no início dos anos 90. Época em que o Brasil vivia constantes mudanças na economia, e as pessoas eram afetadas pela falta de perspectiva. Essa porta, aberta para suprir a demanda de mão de obra nas fábricas japonesas, foi uma “saída corajosa” para uma terra desconhecida.
Como antigos marinheiros, desbravadores, que apenas ouviam histórias e iam atrás das riquezas do outro lado do mundo.

O sentimento de medo e esperança por dias melhores, logo foi trocado pela saudade. O Japão havia “progredido” não tinha nada do que nossos avós cantavam nas músicas. Tudo estava industrializado. Até as pessoas.

A esperança vendeu passagens internacionais. A saudade vendeu ligações internacionais e alimentos.

Até 2008 tudo ia muito bem até que um fato inesperado, criado pelo homem, mudou a vida de muitas pessoas que já haviam esquecido os sentimentos de afeto e conforto familiar.
Nesse momento, o medo voltou a vender passagens.

O susto parecia que já estava se dissipando quando em 2011, um acontecimento da natureza, provocou nova onda de medo e mais vendas de tickets aéreos.

Daqui alguns dias vamos nos emocionar e relembrar o ocorrido, 2 anos depois. Há uma esperança depositada no novo governo em relação a economia, porém, depois de sofrer dois choques, o sentimento que prevalece agora é a incerteza.

Incerteza não vende. Imobiliza a pessoa de tomar decisões. Precisamos ter medo, saudade ou esperança para mover a economia novamente.

 

Imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Coração-icone.gif

Empreendedorismo ou obediência

Padrão

LeilaoJP novidades 2013

A grande maioria dos brasileiros que vivem no Japão, vieram ao país com alguns objetivos em comum.

  • Trabalhar – pois nos anos 90 era muito difícil conseguir emprego no Brasil.
  • Comprar bens – algo impensável para a inflação na época.
  • Realizar sonhos – em geral, materiais.

Com o resultado do trabalho, muitos “Dekasseguis” voltaram ao Brasil para comprar bens e realizar sonhos. Compraram casas, carros e empreendimentos. Infelizmente, devido ao insucesso nos negócios, uma boa parte teve que voltar ao Japão. Tiveram que reecomeçar suas vidas com muito trabalho novamente.

Já no século XXI, surgiram centenas de empreendimentos brasileiros no Japão, devido ao grande número de patrícios que fixaram-se por mais tempo e formaram famílias no país. Número que ultrapassou os 300 mil em 2007. Passados 3 anos depois da “Crise do Subprime”, em 2011 os brasileiros tiveram outro choque, o terremoto e tsunami de Tohoku.

Agora temos outros eventos nos impactando. Os problemas internacionais com a China e Coreia, o Yen valorizado e a queda nas vendas de grandes marcas japonesas de eletrônicos e autopeças, maiores empregadores dos brasileiros no arquipélago.

Este é o exato momento em que os brasileiros no Japão precisam decidir entre EMPREENDER ou OBEDECER. É uma decisão muito difícil, pois trabalhar em fábricas japonesas, apesar de serem serviços desgastantes para o físico, não exigem esforço mental. Basta apenas obedecer a rotina imposta e produzir como ROBÔS.

Empreender é mais complicado, são muitas decisões para serem tomadas todos os dias, é preciso colocar todo seu conhecimento em prática. E o mais importante, fazer este conhecimento pagar a sua sobrevivência no mercado. E porque não usar todo o conhecimento adquirido nas fábricas japonesas para valorizar seu próprio negócio?

Uma das fábricas que mais empregam brasileiros, a Aisin, adota o “Kaizen” como metodologia de trabalho, que de uma forma simplificada, significa melhoramento contínuo.

É muito simples de adotar no início de qualquer empreendimento. Faça uma rotina de trabalho que consiste em:

  • Fazer
  • Verificar problemas
  • Consertar os problemas

O setor de vendas é uma das peças-chaves para o sucesso do seu empreendimento e você pode adotar o “Kaizen” com o seguinte exemplo.

Faça uma venda, se vendeu ok. Se não vendeu, qual foi o problema? Então conserte o problema. Se o produto/serviço não tem qualidade, venda mais barato, se tem qualidade, invista em marketing. Encontre soluções para resolver os problemas. Não adianta apenas usar as reclamações como desculpa por não realizar vendas. A responsabilidade deve ser tomada para si.

Vai empreender e não tem idéia por onde começar?

Comece pequeno, aprenda a vender online. No Japão, o Leilao.JP é o melhor site para você aprender a vender investindo pouco ou quase nada.

Obs.: Este post é tendencioso, sou Consultor do Leilao.JP e desejo que mais pessoas empreendam através das ferramentas de vendas e marketing do site. Tem uma idéia ou deseja iniciar algum empreendimento? Entre em contato que terei o maior prazer em ajudar.

Dica: Assista o vídeo do Ricardo Semler sobre a história de sua companhia e sobre educação.

A importancia da fotografia

Padrão

Pelas estatisticas do wordpress, vejo que muitas pessoas vem aqui atraves da tag “fotografia”. Infelizmente poucas empresas Brasileiras no Japão dão o real valor para as fotos na hora de publicar seu website. Algumas chegam até a copiar o trabalho de outros para poupar tempo e dinheiro.

Publicar conteúdo de qualidade, seja em sites de notícia ou e-commerce, é o melhor meio para obter mais visitas e assim, mais faturamento. Encontrei um texto muito bom sobre fotografia na internet aqui.

E mais dicas específicas de fotos para e-commerce (comércio eletrônico) aqui.

Treinamento para Consultores Menard Madelamour

Padrão

No dia 24 de maio, foi realizado um treinamento sobre vendas e visão de mercado, exclusivo para Consultores da Menard Madelamour em Mie-ken, Suzuka-shi.

Os principais tópicos abordados foram:

-Geometria de mercado – com exercícios para ampliar a visão e seus resultados.

-Vendas – com base principalmente no relacionamento com o cliente.

-Conhecimento da empresa em que se trabalha.

-Motivação com planejamento de metas.

Pudemos obervar resultados imediatos com alguns depoimentos que foram gravados em vídeo. No próximo mês o material estará disponível de acordo com a empresa DVB/Blue Motion, a qual foi contratada especialmente para filmar o treinamento.

Obrigado a todos que participaram e também a Daniela Aoki que convidou Dino Slender para esta palestra com sua equipe.

Palestra no Curso de Fotografia!

Padrão

Dino Slender realizou domingo dia 19 de Abril, palestra de 1 hora durante o Curso de Fotografia avançada na ATEC em Nagoya. Agradecimentos ao Professor M.Saiki que convidou Dino para falar sobre Vendas e a relação com a Fotografia Publicitária no Japão.

Durante a Palestra, Dino abriu a edição 202 da Revista Alternativa, onde somente nas primeiras 10 páginas contabilizou mais de 100 fotos publicitárias, mostrando que o mercado é inexplorado, pois desse total, apenas 1%, é produzida em estúdio fotográfico especializado em produtos no Japão. Dino, enfatizou a importância do profissional escolher um nome de fácil memorização quando entrar no mercado, e falou também sobre o relacionamento com o cliente, ponto em que poucos estão acostumados a lidar, pois a grande maioria dos profissionais, pensa apenas em baixar o preço para entrar no concorrido mercado.

Não basta o Fotógrafo aprender todas as tecnicas, ele deve saber vender seu material, ou contar com a ajuda de um Profissional de Vendas.

Obrigado a todos os alunos que ouviram atentamente as dicas e experiências do Palestrante – Dino Slender.